terça-feira, 8 de abril de 2014

O que significa para você ser Postulante – jubilar 2014?



“Unidas ao Magnificat de nossa querida Mãe, elevamos a Deus Trindade nossa gratidão, por nos ter concedido neste Ano Jubilar o imenso presente de 6 jovens: Adriana, Daiane, Fernanda, Jéssica, Juliana e Kelly que querem consagrar suas vidas, servindo a Igreja, como Irmãs de Maria de Schoenstatt. Desejamos que, no mesmo espírito dos Heróis, elas possam viver por Schoenstatt e colaborar para que muitas pessoas, por meio de nossa espiritualidade. Vivendo em Aliança, tenham um profundo encontro com o Deus da vida.” Ir. M. Silvia Regina Formagio
O que significa para você ser Postulante – jubilar 2014?
“Ser postulante no ano do Centenário da Aliança é uma graça muito especial que me impulsiona a buscar o heroísmo dos primeiros, para que Schoenstatt permaneça vivo e fiel à origem e à Santa Igreja por mais cem anos”. Adriana Seixas Pinheiro
“É uma graça, um belíssimo presente que Deus nos concedeu. É saber que fomos chamadas e confiadas a uma missão: a Missão de sermos os novos “Congregados”e seguirmos com fidelidade os passos de nosso Pai e Fundador, sendo portadoras de Schoenstatt para as novas gerações”. Daiane Aparecida Gonçalves
“Ser postulante no ano jubilar é um grande presente de Deus Pai a cada uma de nós que nos desafia, a partir de nosso sim, colaborar na propagação da missão de Schoenstatt nos tempos atuais. É um chamado especial que nos impulsiona a buscar o mesmo ardor dos primeiros heróis e assim construirmos juntas os alicerces da próxima geração.” Juliana Dias Nogueira
Ser postulante no Ano Jubilar nos faz perceber o quanto o amor de Deus nos surpreende. Um amor misericordioso, paciente e incondicional. Um amor que se revela nas pequenas coisas e que nos confia uma grande missão: “Sob a proteção de Maria, educar-nos para sermos novos fundamentos de Schoenstatt.” Fernanda Ferreira Vieira
“Ser postulante no Ano Jubilar é uma imensa dádiva de amor do Pai e uma grande responsabilidade. É uma desafiadora missão que nos convida a conhecer, entender e amar Schoenstatt profundamente.” Kelly Aparecida Rabelo
“Ser postulante no Ano Jubilar é reavivar o amor sacrifical que ardeu nos corações de nossos heróis. É viver Schoenstatt na sua origem, como uma Pequena Maria, formando o homem novo, sendo um alicerce para os próximos cem anos.” Jéssica Maria Assunção Nascimento
A vestição será  no dia 6 de setembro, pela manhã.

Uma jovem que escolheu ser e viver a alegria

fernandaIMNPS - Se há muito silêncio na Casa Irmã Emilie, junto ao Santuário da Mãe e Rainha, em Atibaia/SP, a primeira pergunta quase sempre é: “Onde está a Fernanda?” Com apenas 18 anos, Fernanda Rocha Gomes vem de Francisco Morato/SP, onde residem seus pais e mais três irmãos, um mais velho e dois mais novos do que ela. A universitária em pedagogia quase faz parte do “inventário da casa” em que residem as jovens vocacionadas das Irmãs de Maria, pois há 8 anos ocupa seus espaços, preenchendo-os com sua alegria travessa e inquieta. Vamos conhecer um pouco sobre essa jovem, que tão cedo sentiu o chamado de Deus para a vida consagrada. - Fernanda, como foi o seu chamado vocacional? :) - Quando eu vim pra cá, pela primeira vez, eu tinha 10 anos. Entre os 10 e 11 anos, tinha escrito uma carta para minha madrinha, lá no Paraná, e todo o dia olhava na caixinha do correio para ver se havia chegado a resposta, que nunca chegava. Eu nunca tinha recebido uma carta na minha vida. Um dia, minha mãe disse: Tem uma correspondência para você! Era uma carta da Ir. Adriane Maria convidando para o encontro vocacional. Até hoje eu não sei como a Irmã me achou. Não sei se foi alguém da romaria, uma coisa assim. Só sei que a carta chegou lá em casa, li e insisti com minha mãe para vir passar o final de semana no Santuário da Mãe e Rainha. Minha mãe nunca havia me deixado dormir fora de casa, mas, pela minha insistência ela deixou. Até então, eu só conhecia o Santuário e pensava: acho que só vou encontrar Irmãs bem velhinhas nesse lugar. Mas, ao chegar, encontrei tantas Irmãs jovens andando de cá para lá. Quando toquei a campainha na Casa Ir. Emilie, atende-me uma candidata muito jovem. Nossa!!! Ela era muito animada, abriu a porta e me deu as boas vindas com toda aquela alegria. Eu fiquei olhando e pensei: Esta deve ser secretária! Mas, tinham muitas jovens como ela! Fiquei sabendo que elas moravam ali e eram meninas tão novas. Foi amor à primeira vista! Porque era uma alegria, mas uma alegria tão grande, que eu não sabia onde cabia tanta alegria. Então, eu disse: Nossa! Mas, eu estou feliz, tenho minha família que me ama, tenho meus amigos e tenho tudo o que eu preciso. Fiquei me perguntando se eu também conseguiria morar longe de minha família e pedi para vir morar aqui também. Mas, eu era muito nova e as Irmãs me disseram para ficar em casa e continuar a vir aos encontros. Quatro anos depois, finalmente eu podia vir. Então, começou a bater a dúvida: Meu Deus, será que é realmente isso? Por que estou nessa euforia? E se for fogo de palha ou alguma coisa assim? Eu rezava, mas nunca via uma luz clara e nunca conseguia enxergar realmente o que era. Eu insistia para que a Mãe de Deus “desenhasse”, porque eu já não estava mais entendendo o que Deus queria. Numa noite, no Santuário, eu chorava e pedia: Mãe, a senhora me quer aqui? Aqui é meu lugar? A minha vocação é para as Irmãs de Maria de Schoenstatt? Quer mesmo isso de mim? Mas, parecia que a Mãe só sorria para mim. Então, pensei: É isso que eu estava precisando para ter certeza. Então, tá bom, Mãe, eu vou vir. Voltei para casa radiante e, no dia 26 de janeiro de 2012, vim para morar aqui e estou muito feliz. - Hoje, você está com 18 anos, viver aqui todo esse tempo, não é perder tempo na vida? :) - Antes de vir para cá, uma das minhas perguntas também era essa. E se eu for pra lá e depois não for esta a minha vocação? Mas, estar aqui não é uma fuga. Schoenstatt é um mundo mágico! Conheci outras congregações, mas, o que mais me chamou a atenção em Schoenstatt foram duas coisas: o início de tudo. Como a fé do Pai fundador e dos congregados foi tão grande, que a Mãe veio morar no Santuário. E outra coisa que me chamou muito a atenção é que em Schoenstatt tem lugar para todo o mundo. Não importa se você tem dois anos ou se você tem oitenta, você tem lugar em Schoenstatt. Schoenstatt é um mundo. A espiritualidade de Schoenstatt também me cativa muito. Essa liberdade de você ser você, sem ter medo do que os outros vão falar, sem medo de ser julgada. Deus me criou assim e eu vou ser assim. Schoenstatt é tudo pra mim. - E seus pais, o que pensam? :) - Quando eu tinha 10 anos e disse que queria vir pra cá, eles não levaram a sério. Mas, continuaram me trazendo e eu contava os dias pra vir. A primeira vez que meus pais caíram em si, que era realmente sério, foi quando eu apareci com a lista de enxoval em casa. Minha mãe me questionou se eu tinha certeza do que queria. Eu e meu pai somos muito unidos e ele me perguntou de onde eu tirei essa ideia de ter vocação. Respondi, na época: Olha pai, explicar meu tipo de vocação, eu não vou saber explicar. Mas, é algo que a gente sente. Mas, posso dizer para o senhor que quando eu estou lá eu me sinto realizada, plenamente feliz. Então, ele concluiu: Está tudo bem. Se você se sente feliz, então eu estou feliz também e eu deixo você ir. - Como fica com a saudade de casa? :) - Isso todo o mundo sente e é normal. Logo que cheguei, eu estava super feliz porque esperei 5 anos por essa hora. Aí passou umas 3 semanas e começou a saudade… Se estivesse em casa ia estar fazendo tal coisa com minha mãe, estar fazendo algo com meus amigos… Nossa! Não sabia que ia doer! Mas, ainda bem que tinha saudade. É algo normal. Mas, agora já estou super bem. (risos) - O que te encanta em ser Irmã de Maria? :) - Das comunidades que conheci, as Irmãs de Maria foram as que mais demonstraram alegria. Para mim a alegria é algo muito importante na vida, porque com alegria a gente faz tudo bem feito. A gente resolve nossos problemas, ajuda o próximo. Quando eu vinha de romaria, sempre via a Irmã que atende a romaria com aquela alegria, aquela simpatia que cativava a gente. Aquela alegria de estar mesmo no meio do povo, e eu sou muito social, então, aquilo marcou para mim. Depois, vi que a espiritualidade das Irmãs é ser uma viva presença de Maria no mundo. Então, falei: É esse o caminho que quero para mim. Ser uma pequena Maria no meio do mundo. - Como é a vida na Casa Ir. Emilie? :) - A vida do juvenato é uma muito boa. Nós trabalhamos, claro! Não ficamos a mercê dos funcionários, nem das Irmãs. É muito gostosa essa vida comunitária. Ali, você não faz nada sozinha. Se você trabalha, você trabalha com alguém. Se você estuda, tem alguém ao seu lado estudando. Tudo o que você faz, tem alguém fazendo junto. Então, quando a gente acorda, acorda todo mundo junto. Nós temos aulas aqui também, de religião, sobre Schoenstatt, aula de música, de maneiras marianas… Tem toda essa delicadeza de fazer as coisas bem feitas, fazer o extraordinário no ordinário. Nós aprendermos muitas coisas. Sem falar que a convivência com as Irmãs também é muito divertida. Nós conversamos até demais. As meninas até brincam que quando está muito em silêncio é porque eu não estou em casa. (risos) Mas, é muito divertido. O juvenato é uma casa alegre, porque a juventude é alegre. Então, você está ali com pessoas diferentes de você e a gente brinca. Não que a gente não tenha preocupação com nada, isso não. A gente se preocupa com muita coisa, mas somos alegres, felizes nas pequenas coisas. Tudo o que fazemos é com alegria e, se custa, vai para o Capital de Graças. - O que você diz para uma jovem que tem dúvidas, sobre a sua vocação? :) – A partir do momento em que você tem essa dúvida, acho que você não precisa ter medo de arriscar, porque o que você for fazer aqui não será perdido. Então, se tá com a dúvida no coração, se está pensando, será que é isso, será que não é… Vem para cá, porque aqui é maravilhoso. As amizades, o aprendizado, toda a vida, a espiritualidade… Tenho algumas amigas vocacionadas que vem e que os pais não são muito a favor disso. É normal, porque todo pai e toda a mãe quer o filho mais perto. Então, se eles veem que a vontade do filho é procurar uma vocação como esta, eu acho que eles não têm porque impedir. Se ele vê que isso está na felicidade do filho, então, tem mais é que apoiar, deixar o filho ser feliz e rezar. Entregar nas mãos da Mãe, porque estando aqui sua filha está nas mãos de Deus.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Encontro para jovens nos dias de Carnaval!

Irmãs de Maria de Schoenstatt
“Chamei-te pelo nome…”. Atibaia, 1 de fevereiro de 2014. Querida Jovem! Com alegria faço o convite para mais um Encontro Vocacional neste ano em que celebramos o Centenário da Aliança de Amor. Há cem anos o bom Deus nos presenteou o Santuário como uma “Fonte de Graças”. Ali encontramos diariamente Jesus e nossa querida Mãe. Ela nos convida a sermos discípulos missionários. O Santo Padre o Papa, hoje emérito Bento XVI, nos deixou muitos estímulos a respeito do ser missionário: Nós jovens somos pessoas inquietas que estamos sempre em busca do novo’. Mas, que significa ser missionário? Significa acima de tudo ser discípulo de Cristo e ouvir sem cessar o convite a segui-Lo, o convite a fixar o olhar n’Ele: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11,29). O discípulo, de fato, é uma pessoa que se põe à escuta da Palavra de Jesus (cf. Lc 10,39), a quem reconhece como o Mestre que nos amou até o dom de sua vida. Trata-se, portanto, de cada um de vós deixar-se plasmar diariamente pela Palavra de Deus: ela vos transformará em amigos do Senhor Jesus, capazes de fazer outros jovens entrar nesta mesma amizade com Ele. Aconselho-vos a guardar na memória os dons recebidos de Deus, para poder transmiti-los ao vosso redor. Aprendei a reler a vossa história pessoal, tomai consciência também do maravilhoso legado recebido das gerações que vos precederam: tantos cristãos nos transmitiram a fé com coragem, enfrentando obstáculos e incompreensões. (Papa Bento XVI) Abramos as portas de nossa liberdade para Cristo, deixemo-nos surpreender por Ele! Vamos dar o direito de nos falar ao coração! Contemos para Jesus nossas tristezas e alegrias, deixando que Ele nos ilumine com sua luz! Quem melhor que nossa querida Mãe deixou Deus lhe falar ao coração? Quem mais que Maria viveu a verdadeira liberdade na doação de si mesma? Ela é para nós o exemplo de coragem que a juventude precisa para mudar o mundo! Por isso, queremos nos encontrar nos dias de carnaval, aqui em nosso Santuário, a fim de que a Mãe de Deus possa nos ensinar a buscar em Jesus, as respostas de que tanto precisamos! O Encontro será nos dias 1,2,3 e 4 de março, inicio e término com almoço. End.: Rodovia Dom Pedro I Km 78 Atibaia-SP Envie pelo formulário de contato do nosso bloghttp://irmasdemariadeschoenstatt.blogspot.com.br/ os seguintes dados: Nome: Idade: E-mail: Telefone: Se for preciso buscar na Rodoviária, por favor, telefonar antes! Tel. Para contato: (11) 4414-42-35

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Irmãs de Maria de Schoenstatt- Encontro Vocacional





Atibaia, 09 de agosto de 2013.
Querida Jovem

A Jornada Mundial da Juventude nos transportou com certa naturalidade a fazermos uma reflexão acerca de nossa vida! Nós jovens somos pessoas inquietas que estamos sempre em busca do novo’.
O Santo Padre o Papa Francisco nos deixou muitos estímulos:
“Ide e fazei discípulos entre todas as Nações”. Com estas palavras, Jesus se dirige a cada um de vocês dizendo: “ Foi bom participar nesta Jornada Mundial da Juventude, vivenciar a fé junto com jovens vindos dos quatro cantos da terra, mas agora você deve ir e transmitir esta experiência aos demais”. Jesus lhe chama a ser um discípulo em missão! Hoje, à luz da Palavra de Deus que acabamos de ouvir, o que nos diz o Senhor? O que nos diz o Senhor? Três palavras: Ide, sem medo, servir.

Abramos as portas de nossa liberdade para Cristo, deixemo-nos surpreender por Ele! Vamos dar o direito de nos falar ao coração! Contemos para Jesus nossas tristezas e alegrias, deixando que Ele nos ilumine com sua luz!
Quem melhor que nossa querida Mãe deixou Deus lhe falar ao coração? Quem mais que Maria viveu a verdadeira liberdade na doação de si mesma? Ela é para nós o exemplo de coragem que a juventude precisa para mudar o mundo! 
Por isso, queremos nos encontrar com Ela aqui em nosso Santuário, a fim de que a Mãe de Deus possa nos ensinar a buscar em Jesus, as respostas de que tanto precisamos!
O encontro será nos dias 31/08 e 1/09/2013.
End.: Rodovia Dom Pedro I Km 78 Atibaia-SP

Envie pelo formulário de contato os seguintes dados:

Nome
Idade
E-mail
telefone
Se for preciso buscar na
Rodoviária, por favor telefonar antes!
Tel. Para contato: (11) 4414-42-35
Agradeço cordialmente!

 Ir. Fabiana Maria Costa

Feira Vocacional JMJ Rio 2013!!!


DSC00637
IMNPS - É indescritível o que se vive no Rio de Janeiro/RJ. É tarde do dia 23 de julho, por toda parte, nas ruas, jovens em grupo, nos ombros a bandeira de seu país, as mochilas nos ombros e a alegria estampada no rosto! Quase não se dá cem passos sem que alguém grite de algum lado: “Viva Schoenstatt!!!” Então, vem a corrida para apertar as mãos e dizer o país: África do Sul, Norte da América, Alemanha, Suiça… e por aí se vai! Claro, também estão milhares de todos os países da América Latina e de cada canto do Brasil. Cada um quer se identificar e somar a alegria, afinal somos uma única e grande Família.
Frutos das missões…
No Alto da Boa Vista, milhares de jovens realmente interessados no tema discernimento vocacional. Manoela del Mar Silva e Martin Perez Santellan, de Bahia Blanca, Argentina, vieram contar que são “pesca” das missões jovens. “Os jovens passaram pela nossa paróquia e nós viemos! Estamos muito felizes por encontrar Schoenstatt na JMJ.” Berta Marilin, norte da Argentina, quando vê o stand das Irmãs de Maria quase não pode acreditar. Com os olhos em lágrimas diz: “Estou em discernimento vocacional e quero muito conhecer as Irmãs de Maria. Minha cidade fica muito longe da casa das Irmãs e eu, quase sem esperança, só rezava para que Deus me abrisse o caminho para elas. Nunca pensei que esse caminho seria aqui na JMJ. Vocês estão aqui! Por favor, fale-me de vocês!” Assim, a Mãe de Deus mostra mais uma vez que não desilude os que se decidem por ela.
É Schoenstatt na Igreja e como Igreja! 
Em Copacabana, na noite, esses encontros continuam, no meio da multidão: “Mãe Rainha!!!” É o grito de vários brasileiros que se identificam: “Belém do Pará” “Ceará” “Rio Grande do Norte” “Acre” e em seguida: “Sou missionário”, “Ela vai na minha casa”, “Romaria em Atibaia”… Na Santa Missa de abertura, aumenta o número dos sacerdotes que fazem a mesma saudação. Na noite e sob a garoa, grupos de jovens se encontram e se identificam: “Schoenstatt!”
Sim, Schoenstatt está com a Igreja e para a Igreja.  Um grupo de meninas se desvinculou de sua turma, nas logo aparece um rapaz do Jumas: “Vem comigo! Se você não encontrar seu grupo, estou no ponto x e as levo para a hospedagem!” Sim, Schoenstatt é Família! A juventude de Schoenstatt está feliz por se encontrar com o Papa Francisco! Eles estão cansados, mas não se queixam… O Capital de Graças está repleto, mas, sim, a Aliança de Amor dá forças! Viva Schoenstatt!!!